Aquário do Membro Phoenix

16 September 2019
30
38
18
31
Porto Alegre
#1
Fala galera... estou fazendo esse tópico aqui após ler alguns tópicos incríveis de aquários de membros... não tenho a experiência nem o conhecimento que muitos tem aqui no fórum mas mesmo assim vou postar meu dia a dia com o meu reef (que por sinal quase foi um ex reef - por isso o nome)

Vamos começar com as infos dele:

Display 280 litros 100x50x55
- Queda via caixa de overflow com bean animal
- Travas superiores
- Vidro 10mm
- Bomba de circulação AI nero 5

Sump +- 100 litros
- Refúgio de +- 50 litros com chaeto e mangue vermelho (fotoperíodo de 9 horas 23:55 ~ 8:55)
- Skimmer BBM A8
- Recalque oceantech eletrônico 6000 l/h (regulado para 3000 l/h)
- Reator de fosfato com rowa

Parâmetros (o que mantenho atualmente)
KH - 8
CA - 440
MG - 1440
Fosfato - 0,02
Nitrato - 1

Iluminação full t5
- 4 x 39w
- 1 ATI Blue plus
- 1 ATI Actinic
- 1 Giesman Midday
- 1 Soma Actinic
- Fotoperíodo de 10 horas (14h ~ 00h)

Peixes (por ordem de inserção):
- Lawnmower blenny (carinhosamente chamado de dinossauro)
- Hepatus yellow belly
- Purple tang
- Falco hawkfish
- Palhaço skunk
- Green bird wrasse
- Palhaço dominó
- Yellow coris
- Flame angel

Corais tenho muitas mudas ainda pequenas de acroporas e algumas colônias que sobreviveram ao desastre... também tenho alguns lps como hammer, torch, duncan, open e elegance


Agora um pouquinho da história:
Montei o aquário a mais ou menos 2 anos atrás, foi meu segundo aquário marinho (migrei de um nano 50l)... por não ter muita experiência penei um pouco com alguns quesitos como reposição de elementos, alimentação pesada, produtos mágicos que resolvem a vida pingando uma gotinha... falta de quarentena... o que no fim das contas me fez estudar muito (para resolver as cagadas que fazia)... em meados de dezembro de 2018 tive um surto de ictio no aquário que levou alguns peixes que estavam comigo desde o nano, passei 90 dias sem peixes e desde então, quarentena SEMPRE!

Nesse tempo sem peixes (Janeiro, fev, mar 2019) consegui aprender a controlar nitrato e fosfato, além de conseguir regular minha dosadora (com balling caseiro na época) o que me permitiu começar a me aventurar em sps e acroporas... na volta dos peixes tudo certo... ainda controlava o fosfato normalmente aumentando um pouco a dose (vsv - Vodka/Açucar/Vinagre) até que um dia, em meados de agosto, começaram algas de todos os tipos, inclusive apareceu também alguns focos de ciano (os quais tentei resolver com redslime sem sucesso, hj acredito que poderiam ser dinos...) e com isso a falta de tempo perdi o controle completo do reef... os produtos que colocava pra resolver "magicamente" algum problema, ocasionavam outro... até que no final de setembro tinha entregado o reef... em poucos dias sem manutenção ficava dessa forma...



Então... veio a pesquisa novamente... estava decidido a colocar tudo abaixo... remontar... e fazer tudo certinho como tinha pesquisa e estava voltando a pesquisar... procurei métodos de reposição de elementos industriais e caseiros, vantagens, desvantagens... enfim... alguma forma de manter o reef que se encaixasse no meu perfil... até que (pelo canal BRS TV do youtube) descobri a Triton... e vi que encaixava perfeitamente no meu objetivo de reef e nas minhas condições de manutenção e, para minha sorte, estava começando o burburinho Triton no Brasil, o que me facilitou muito o acesso aos produtos.

Na primeira semana de outubro troquei todas as mídias do meu filtro de RO, fiz as 3 tpas de 33% um dia após o outro para remover algum contaminante (como aprendi no BRS TV) reformei o sump para ter um refúgio de 20% o tamanho do aquário, montei a iluminação do refúgio, e comecei a dosagem do core 7 da Triton ("balling" deles)... e então, todos os problemas acabaram! Doce ilusão... com o estado atual do aquário e as mudanças bruscas feitas, os corais pararam de crescer... assim pararm de consumir... e meus parâmetros foram ao teto utilizando a dose minima recomendada do superconcentrado produto... parei a dosagem, regulei a dosadora (Jebao dp4, depois vou fazer um post explicando a regulagem que fiz e o motivo) e aguardei até os corais começarem a consumir os elementos para voltar a dosar levemente... foi um período de 2 meses mais ou menos até encaixar a dose.

Além disso tudo... ainda tive problemas com o fosfato... parei de dosar o vsv caseiro em virtude das chaeto, mas tinha pouco ainda e não era o suficiente para manter a exportação... instalei um reator de rowa (que mantenho ainda hoje para ajuste fino dos níveis) e comecei a diminuir a mídia dentro do reator de acordo com o crescimento das chaeto.

Resumo... após todas as cagadas... acertos, erros, estudos... hoje acredito que o aquário está no caminho certo... acroporas crescendo, pouquissimas algas e parâmetros estabilizados. Agora vocês ja sabem toda a história... vamos ver o que nos reserva para o futuro com o crescimento dos bixos e as prováveis mudanças para abrigar todos eles...

 
16 September 2019
30
38
18
31
Porto Alegre
#6
Fala pessoal... demorou um pouco meus resultados do ICP e NDOC mas chegaram... vou falar um pouco sobre o que eu acho interessante, logo após vou falar algumas dúvidas que tenho e deixo a galera comentar sobre... acredito que estou no caminho certo, pouca coisa pra arrumar, mais algum ajuste fino e algumas coisas a se pensar para o futuro



Vamos lá... primeiro ICP



Essa parte de metais pesados pelo que eu acredito serve apenas para analisar uma possível contaminação ou algo desse tipo... sorte minha... tudo no zero...





Macro elementos...
Aqui tenho algumas considerações... primeiramente... meu teste de cálcio da redsea já vinha dando avisos que estava para se entregar... várias vezes a medição era diferente de uma rodada de teste para outra sem motivo aparente (media 340 aí 20 minutos depois 420), como os outros parâmetros estavam estáveis eu resolvi ignorar e supor um valor de equilíbrio entre os outros parâmetros (o que o ICP demonstrou que estava certo). Vou trocar o mesmo, acredito que tenha pego umidade pois está na validade...

Além disso, outra observação é de que, todos os parâmetros estavam levemente baixos, o que sugere que, está tudo equilibrado mas estou dosando pouco do core 7 (aumentei já essa semana e vou controlar via kh e mg já que o calcio preciso comprar um novo), com isso, também não vou dosar extra nenhum dos macro elementos... vou apenas colocar um pouco de agua salgada na reposição (sal instant ocean reef crystals) para subir a salinidade que está levemente baixa...


Lítio e Iodo
No grupo do Lítio resolvi somente aceitar... pelas pesquisas que fiz (rasas) não é algo que tem uma grande influência no reef (me corrijam por favor se estiver enganado).

Já no grupo do Iodo, o iodine realmente é o único elemento que resolvi dar uma atenção (até por aparecer uma dosagem semanal sem data de fim na tab de help da triton, sendo que os outros era uma dosagem única para regular apenas, o que irei regular subindo a dose geral e não dosando um por um), vou fazer a dosagem indicada no help que é de 1ml semanal, ainda não sei o que pode mudar com isso, mas vou atualizando a galera


Ferro, bário e sílica
Assim como o lítio, resolvi aceitar os elementos dos grupos do ferro e do bário e confiar que vão subir até o nível desejado com o aumento da dose.

Já a sílica, foi avaliada com um valor realtivamente baixo para testes caseiros, mas alto para os parâmetros da Triton... algo em torno de 0,5. Acredito que, os males que pode causar com esse valor são algo do tipo, crescimento de algumas esponjas e surgimento de algumas alga. Como eu acredito que essa sílica ainda é resquício da antiga configuração do RO e nenhum dos problemas que ela pode causar foi evidenciado, vou apenas colocar uma mídia removedora por alguns dias e acompanhar no próximo ICP (Vou utilizar a Sera Marin Silicate Clear)


Por fim do ICP, fosfato
Aqui acendeu uma luz de atenção... e um sorriso no rosto tb...
A luz foi porque fosfato zero zero, é caixão para um aquário marinho... corais precisam do fosfato para sobreviver... após fazer a alteração da iluminação do refúgio de chaeto (refletor led 50w quente), voltei a testar o fosfato de 3 em 3 dias para acompanhar a evolução (coisa pra outro post) e percebi que ele começou a baixar rapidamente... o que me fez tirar metade da mídia do reator de rowa e aumentar um pouco a alimentação... com o resultado do teste icp, vou desligar completamente o reator e sobreviver apenas com as chaeto... se caso continuar baixo, vou partir para uma alimentação mais forte com alimentos vivos... ou mesmo diminuir um pouco o fotoperíodo do refúgio

Obs sobre esse parâmetro... faço a medição com o colorímetro ULR em ppm da hanna... medi 0,04 no dia do ICP... sendo que o mesmo marcou 0,009... vou ficar atento a isso... em todo caso... vai servir como referência por hora não baixar de 0,04
 

Henrique Almeida

Moderator
Staff member
Eu apoio o ReefClub!
9 Janeiro 2015
3.615
4.196
113
36
Jundiaí
#8
Fala Alan, muito legal todo o relato detalhado. Parabéns.

E que beleza o resultado dos testes, hein? Se for mudar qualquer coisa aí, faça com muita calma, porque está tudo indo muito bem.

Valeu, abs
 
Likes: alanvelasques
16 September 2019
30
38
18
31
Porto Alegre
#9
Sobre o N-DOC
Aqui meu conhecimento virou nada... vou deixar um vídeo que assisti para ter um pouco de luz em cima dos dados e escrever o que entedi baseado no que eles falam no vídeo:

TCO2 - total de carbono inorgânico é o carbono disponível para os corais utilizarem... é usado para o calculo do KH

TOC - total de carbono orgânico é o carbono disponível para bactérias... tipo vodka, vinagre, açucar... pra galera que dosa esses elementos com objetivo de controle de nutrientes, é uma medida que pode dizer se está superdosando

TC - Total de carbono no aquário... se alguém souber o objetivo desse parâmetro...

TNb - Total de Nitrogênio - hoje é utilizado para fazer a base das dosagens dos produtos novos da triton (Cyano, RTNx e STNx)

Segue meu teste... na aba help ele comenta apenas sobre o meu carbono orgânico que está alto falando que o motivo pode ser a superdosagem de fontes externas... como no meu caso não doso carbono então não sei de onde veio... mas também não tenho nenhum dos problemas comentados ali que podem acontecer em virtude desse carbono alto...

Com a análise do valor de KH consegui concluir quase que em 100% que realmente a dosagem de Core 7 está baixa... pois confere com os valores baixos dos outros macro e micro elementos do ICP... além disso consegui tirar uma temperatura da precisão do meu teste de KH (colorímetro da hanna em dkh) que marcou 7,7 enquanto o NDOC marcou 7,66

Sobre o N (também está fora da curva) eu não tenho idéia do que quer dizer esse valor alto... consequências, como baixar, porque motivo está alto... etc.. pois na aba de help não fala nada sobre ele... enviei um email para o help da triton fazendo essas indagações... vamos ver a resposta.

Se alguém souber algo sobre esse parâmetro, ou mesmo me corrigir alguma bobagem que falei... fico a disposição

 
16 September 2019
30
38
18
31
Porto Alegre
#10
Se for mudar qualquer coisa aí, faça com muita calma, porque está tudo indo muito bem.
Obrigado Henrique... realmente está tudo bem encaixado... vou fazer apenas ajustes finos e com muita calma... o que anotei de passos para fazer, inclusive conversando com o representante da Triton aqui na américa do sul são os seguintes:

Aumentar salinidade - durante a semana vou ir inserindo agua salgada na reposição para tentar alcançar 1026 em 2 semanas
Aumentar 2 ml de dosagem do core 7 - 1ml em cada semana
Desligar o reator de fosfato (estava com apenas 100g de rowa) - estou cuidando os parâmetros com teste de 3 em 3 dias para ver se volta a ser detectável, caso não, vou dar uma reforçada na alimentação com o patê do @Alex Costa
Silicate remove Sera durante 1 semana apenas
Dosar iodo 1ml por semana - só vou começar depois de acabar o resto das alterações para poder separar a avaliação... provavelmente daqui 2 meses

Só ajustes pequenos e com tempo para não fazer cagada hahhaha
 
16 September 2019
30
38
18
31
Porto Alegre
#13
Interessante Alex... isso não imaginava... não havia utilizado antes o patê imaginando que poderia dar um gás no fosfato... vou começar a utilizar então mais seguido... e se caso tiver realmente que repor fosfato no reef, vou seguir a dica do Reef-Roids visto que tenho dois tangs apenas e um é bem pequeno
 

Alex Costa

Moderator
Eu apoio o ReefClub!
11 May 2015
2.261
6.038
113
Itupeva - SP
www.flickr.com
Instagram
nimrod1971
#14
Interessante Alex... isso não imaginava... não havia utilizado antes o patê imaginando que poderia dar um gás no fosfato... vou começar a utilizar então mais seguido... e se caso tiver realmente que repor fosfato no reef, vou seguir a dica do Reef-Roids visto que tenho dois tangs apenas e um é bem pequeno
Não vai....a qtde de Fósforo em mg/g que o camarão tem é bastante pequena.
Chega a quase 10 vezes menos do que a TetraMarine Flakes, por exemplo.
Se quer aumentar fosfato, camarão não é o caminho.

Aqui segue um artigo onde os níveis de Fósforo (e fosfato, indiretamente) em diversos alimentos é tabulado:

Phosphate and Math
 
16 September 2019
30
38
18
31
Porto Alegre
#15
Aqui segue um artigo onde os níveis de Fósforo (e fosfato, indiretamente) em diversos alimentos é tabulado:
Bah... top esse artigo Alex... realmente o camarão é uma das comidas que menos tem fosfato... nunca imaginaria isso... vou dar uma analisada nas outras... mas acredito que algumas rações de corais realmente são o caminho... vou pesquisar mais a fundo...
 
Likes: Alex Costa

Membros que estão vendo este Thread (Membros: 0, Convidados: 1)

Top Bottom